Bom, meu terceiro parque foi o Animal Kingdom. Tinha feito algumas pesquisas e achava que seria o parque mais “rápido” para fazer, mesmo ele sendo o maior parque da Disney. Como eu fui ano passado, não estava pronta ainda a expansão do Avatar… vou ter que voltar pra lá e assistir avatar. Fomos nesse parque no dia do aniversário da Mariane, ela quem escolheu. Todo mundo escolheu ir com roupa de bicho e os funcionários do parque elogiaram e comentaram sobre isso.

Nosso primeiro FastPass foi para o Kilimanjaro Safaris, ele é literalmente um safári real em uma área gigantesca que simula alguns biomas encontrados nos continentes africanos. Como fomos bem cedo, conseguimos ver o leão (dizem que temos mais chances indo cedo).

Ao sair do Safari, no caminho para a próxima atração, encontramos diversas pessoas ‘dançando’ bem num clima africano e também encontramos o Flik, do Vida de Inseto.

De lá fomos ao Kali River Rapids, dizem que é a atração que mais molha na Disney, mas eu não fiquei muito molhada não. Posso dizer que tive azar, porque estava calor DEMAIS! Parece um Rio Bravo, do Hopi Hari – acho que esperei muito desse brinquedo e não fiquei muito feliz :/ Saindo de lá encontramos um macaco em uma Ilha perto ao Everest (que vou falar por último dele rs)

Na sequência, fomos tirar foto com o Mickey e a Minnie com roupas de safari no Adventurers Outpost.

De lá, fomos ao Dinosaur, que simula uma viagem pela pré-história em um ‘caminhão’. É bem legal. Usamos o FastPass.

Enquanto estávamos esperando todo mundo se reunir, eu finalmente fui tirar foto com o Pluto, nota-se minha cara de felicidade.

Quando nos encontramos fomos tirar as fotos clichês na frente da Árvore da Vida. E por coincidência, pegamos um show com as Araras. 

De lá fomos almoçar no Pizzafari. Não me lembro muito bem, mas não passou de $15 a minha pizza de mussarela com um copo de coca-cola.

Depois de almoçar, fomos ao Rafiki’s Planet Watch… Lá é uma área INTEIRA dedicada aos animais. Pegamos um trem na estação “África” e fomos até a estação de conservação. Tiramos fotos com os animais que ficavam soltos por lá. Me lembrou bastante o Zoológico Lujan, da Argentina. Encontramos o Rafiki e o Tico e Teco nesse espaço também.

Voltamos correndo e conseguimos pegar a última sessão do Flights of Wonder, esse nada mais é do que um “show de pássaros”. É muito legal, tem algumas piadas forçadas, mas nada que você não consiga entender e até mesmo rir.

Na sequencia, fomos todos no It’s Tough To Be a Bug, que é um filme em 3D (que mais parece um 4D) baseado no filme “Vida de Inseto”. O cinema fica literalmente embaixo da Árvore da Vida e enquanto esperamos o filme começar, podemos ver filmes de verdade em cartazes na versão das formigas. 

Deixei pra falar por último do meu queridinho, que fomos 3 vezes, o famoso: EXPEDITION EVEREST! A montanha russa propõe um encontro com o Yeti – o Pé Grande. Mesmo ela não tendo looping, ela tem umas surpresas que superam todas as montanhas russas do MK! Eu amei, amei e amei! Vão no primeiro carrinho! 

Neste dia, acabamos voltando mais cedo, perdemos o show do Projeção Mapeada na Árvore da Vida. (vou ter que voltar real pra lá).

Em casa, curtimos um pouco da piscina e cantamos parabéns pra Mari (que já está quase fazendo aniversário de novo de tanto tempo que eu demoro para escrever :D)

Esse foi o meu quinto dia na terra do Tio Sam 😉

Anúncios