Busca

Manual de Sobrevivência

Categoria

Texto

Steve Jobs: A determinação transforma sonhos em realidade

A Apple é uma das maiores love branding que existem hoje além de líder mundial em inovação com diversos produtos, mas para falar de uma marca tão apaixonante precisamos falar primeiro do seu cofundador: Steve Jobs – que foi demitido da própria empresa e voltou para transformá-la em um referência mundial em vários segmento Continuar lendo “Steve Jobs: A determinação transforma sonhos em realidade”

Anúncios

Como se descobrir Divergente

Escrevi esse texto no fim do ano retrasado, estava organizando umas pastas e achei ele perdido no meio de tantos outros, mas acho que esse vale a pena a leitura. Quando eu gostava de uma pessoa, eu aguentava todas as mancadas o quanto eu podia, até surtar. E quando eu surto, eu acabo escrevendo absolutamente tudo o que eu penso. Infelizmente, sempre que eu escrevo, a pessoa some, mas tudo bem, digamos que estava na hora dessa sumir, então…

Continuar lendo “Como se descobrir Divergente”

Tudo que você precisava fazer era ficar

Você sabe que tudo poderia ser muito mais fácil né? Eu simplesmente falei tudo, fui super clara e direta com você, porque tive medo de fantasiar demais as coisas e te deixar confuso. Tudo que você precisava fazer era ficar. Eu não fazia ideia na hora que eu poderia estar dando início a toda essa confusão.

Continuar lendo “Tudo que você precisava fazer era ficar”

Quinze

De repente eu estou de volta. De volta àquela quadra, de volta àquela festa surpresa (onde a surpresa foi não conhecer ninguém), de volta aquela cena clichê de filme da Disney que você não deve nem fazer ideia de como aquilo mexeu comigo, mas mesmo assim você fez. Eu me lembro de como tudo era antes, como se fosse uma coisa típica de cidade pequena ou novela mexicana: a garota simples se apaixona pelo garoto popular que jogava futebol, porém a “melhor amiga” dele – que também acaba se apaixonando por ele – faz de tudo para estragar o namoro dos dois até que consegue. Como fugir de uma história clichê com todas essas carateristas?

Continuar lendo “Quinze”

Me perdi no que era real e no que eu inventei.

Ouvindo a música da Tiê ontem, pela milionésima vez, eu me deparei com a frase “me perdi no que era real e no que eu inventei” e parei pra pensar, quantas vezes eu ou você nos perdemos no meio de tanta coisa boa, que inventamos e que infelizmente, não aconteceu. Não consigo nem dizer se infelizmente é a palavra certa para usar aqui, mas foi a que melhor se encaixou enquanto eu escrevia.

Continuar lendo “Me perdi no que era real e no que eu inventei.”

Você já deveria saber…

Acho que eu assisto tanto filme de romance, que acabo achando que eu faço parte de um ou que qualquer ação precisa de uma reação. Achando que qualquer coisa acontece por determinado motivo, que você me mandou aquela foto, por exemplo, porque você queria me chamar atenção de alguma maneira, eu não sei mais. Eu to percebendo agora que até pode existir um motivo e talvez o motivo seja que você não tenha a menor noção do que você está fazendo comigo.

Continuar lendo “Você já deveria saber…”

Growing up… won’t bring us down :)

Eu estava refletindo como algumas coisas não perdem a graça com o passar do tempo, mesmo depois que nós crescemos. Uma vez falaram que eu tinha que parar de ler livros de menininha e ler “50 tons de cinza” que era melhor pra minha idade (ZZzzzZZZzzzZZZ) e esses dias uma menina me perguntou quantos anos eu tinha por estar assistindo (empolgada) ao novo filme da Disney. Acho que a maioria daqui sabe que eu estou prestes a fazer 22 anos e não tenho vergonha nenhuma em gostar/usar/ser as coisas da Disney ou derivados.

Continuar lendo “Growing up… won’t bring us down :)”

Não é você, sou eu…

Você com certeza já ouviu uma frase parecida com essa “ai, você só gosta de quem não gosta de você.. fulano ta ai, fazendo tudo por você e você fica ignorando ele”. Você já pensou que fulano só está fazendo tudo pra mim, porque eu não estava na mesma vibe que ele?

Continuar lendo “Não é você, sou eu…”

A parte mais assustadora é deixá-lo ir.

Eu queria perguntar como foi sua primeira semana no emprego, queria ouvir as suas músicas, queria ouvir as suas gírias, queria ouvir você me chamando de dramática, queria ouvir se você ainda tinha contato com aquele seu amigo viciado em música pop chiclete, na verdade eu queria ouvir qualquer coisa que você me falasse. Confesso que dessa vez eu tentei o meu melhor, fiz o meu melhor. Corri atrás, mandei uma mensagem, mandei outra, puxei assunto, fui engraçada. Sério, eu não sei aonde eu errei dessa vez. Talvez tenha errado quando decidi sair com você. Continuar lendo “A parte mais assustadora é deixá-lo ir.”

Blog no WordPress.com.

Acima ↑