Escrevi esse texto no fim do ano retrasado, estava organizando umas pastas e achei ele perdido no meio de tantos outros, mas acho que esse vale a pena a leitura. Quando eu gostava de uma pessoa, eu aguentava todas as mancadas o quanto eu podia, até surtar. E quando eu surto, eu acabo escrevendo absolutamente tudo o que eu penso. Infelizmente, sempre que eu escrevo, a pessoa some, mas tudo bem, digamos que estava na hora dessa sumir, então…

Continuar lendo “Como se descobrir Divergente”